Deixe seu e-commerce
mais seguro em 11 passos

No mundo atual está cada vez mais difícil confiar nas inúmeras lojas que surgem todos os dias, mas em poucos passos você conseguirá otimizar o seu e-commerce, atrair mais clientes e fechar mais negócios

<

Deixe seu e-commerce
mais seguro em 11 passos

No mundo atual está cada vez mais difícil confiar nas inúmeras lojas que surgem todos os dias, mas em poucos passos você conseguirá otimizar o seu e-commerce, atrair mais clientes e fechar mais negócios

Por: Redação - GTC
em 4 de junho de 2018

A cada novo dia, são muitas as pessoas que encontraram na internet uma possibilidade considerável de aumentar seus lucros, fazendo com que um novo modelo de vendas surgisse, graças ao crescimento da tecnologia e da demanda de consumidores online.

Aliás, de uns anos pra cá, o número de pessoas dispostas a comprar sem sair de casa, com poucos cliques e pesquisar sem levantar do sofá, teve um aumento imenso. Basta perguntar para um porteiro de algum prédio, seja ele residencial ou comercial, quantos pacotes de compras online o condomínio recebia e quantos recebe hoje.

A resposta é unânime: “Vixi!”

É quase que brutal a quantidade de produtos que chegam pelos Correios. Com o tempo, essa demanda cresceu tanto que as grandes lojas virtuais tiveram que partir para outros modos de entrega além do tradicional PAC, tendo em suas opções de frete o Sedex, Sedex 10, transportadoras terceirizadas, motoboys e, atualmente, até ciclistas fazem entregas de tudo o que é possível adquirir na web.

Mas há alguns pré-requisitos básicos que você deve seguir se estiver pensando em abrir sua própria loja online. Muitas pessoas, compradores em potencial, ainda são inseguros quanto à prática de comprar na internet, portanto, se quiser ser um sucesso em vendas com qualidade e segurança, é preciso se preocupar com coisas que parecem detalhes, mas farão toda a diferença na hora em que um novo consumidor acessar o seu site com a intenção de adquirir algo.

Então o que devo fazer para tonar meu e-commerce mais confiável? Abaixo, você encontrará algumas dicas importantes de como passar segurança para novos compradores, mas também para aqueles que já estão acostumados a comprar pela internet, por isso estão atentos aos sinais de segurança e credibilidade dos sites.

1. Visual do site

Esse é o primeiro passo para ter uma loja online, se atentar a um belo visual, de preferência clean, sem muitos elementos que possam dar a impressão de “bagunça”. As cores também vão ajudar na identificação da sua marca, pois sempre que o cliente vê-las por aí, pode lembrar do seu site. Além disso, tenha uma boa navegabilidade, uma loja apenas bonita não fará com que o cliente fique por muito tempo, caso seja muito difícil de encontrar o que ele busca.

2. SSL

O SSL nada mais é do que um certificado digital que é implantado para a segurança das informações presentes no seu site, o que significa que o consumidor está navegando em um site autorizado a divulgar tais informações.
A criptografia simples, como é conhecido o SSL, é uma medida de segurança recomendada para todos os sites, mas em especial aos que solicitam alguma informação sensível de clientes, como dados pessoais ou bancários. Ela valida a URL de domínio do site e protege as informações e é identificado pelo “HTTPS” na barra de navegação.

3. Sistema antifraude e gateways

O serviço antifraude deve realizar a gestão do risco, garantindo para a sua empresa bons índices de aprovação e chargeback. Sem um serviço antifraude, a empresa corre o risco de reprovar pedidos por suspeitas falsas e pode ter dificuldade no tempo de liberação de pedidos por falta de análise.
Uma opção para quem não quiser contratar o serviço de antifraude é a configuração de captura manual no seu e-commerce. Nesse caso, o próprio lojista seleciona as vendas que devem ser capturadas e pode utilizar seu histórico de suspeitos, fraudadores e blacklists nessa seleção. Já os gateways também trazem segurança.
Eles manuseiam e armazenam o cartão para que a loja não precise fazê-lo, e isso reduz o número de cartões clonados e, automaticamente, as fraudes. Usar um gateway e não guardar o cartão é uma atitude responsável do e-commerce.

4. reclame Aqui

Não deixe esse site de lado, por mais antigo que possa parecer, ele ainda é muito visitado por pessoas que pretendem comprar online, principalmente em grande quantidade e alto valor. Sempre responda às reclamações, pois, ainda que elas existam, o novo consumidor dá credibilidade para empresas que se preocupam em resolver os problemas ali divulgados. Isso aproxima a empresa do cliente, humanizando a marca, além de apaziguar a situação.

5. Filosofia da empresa

Preocupe-se em mostrar um pouco da história da sua empresa através de textos institucionais, os propósitos, valores, metas e objetivos, a filosofia. Isso pode parecer bobagem e, realmente, muitas pessoas não vão ler tudo, mas ao menos abrirão para saber um pouco que seja sobre quem está por trás da tela, nesse caso, o vendedor. Além, é claro, de também humanizar a marca e aproximar o virtual da realidade.

6. Política de privacidade

Mais do que manter os dados dos seus clientes em sigilo, informe-os sobre esse ponto. É sua obrigação manter as informações do comprador em segurança, mas também faz parte desse tópico deixá-lo tranquilo quanto a isso. Seja transparente na hora de mostrar que ele pode confiar em você.

7. Contato real

Sempre que possível retorne um e-mail e atenda o telefone que estiver disponível para contato no seu e-commerce. Caso o cliente busque atendimento por um desses canais e não obtenha sucesso na resposta, certamente ele pensará que sua loja não é confiável.

8. Canais de relacionamento e redes sociais

Além de sempre deixar um número de telefone disponível, mantenha outros canais de relacionamento atualizados. Redes sociais são muito eficazes na pesquisa por reputação da loja. No Facebook, responda as mensagens privadas (inbox) e os comentários, interaja com seus seguidores, faça posts com frequência para não dar a impressão de “abandono” da página. Preocupe-se com a arte do que vai ser divulgado nas redes sociais.

9. Preocupe-se com a gramática e ortografia

Sabemos que o português é uma das línguas mais difíceis ao redor do mundo, são muitas regras e conjugações, por isso, não se culpe por não saber todas. Mas é imprescindível que, se tiver dúvida de alguma regra, seja ela gramatical ou ortográfica, pesquise. Não deixe a pressa te dar uma rasteira na sua língua nativa. Até erros de digitação podem ser fatais quando um novo cliente pensar em escolher a sua loja.

10. Depoimentos e avaliações

Tenha sempre um espaço reservado para esses tópicos no seu site. Deixe que as pessoas que já compraram digam o que acharam do produto e que avaliem tanto a mercadoria vendida, quanto o site em geral, como atendimento, navegabilidade e qualidade da venda.

Agora que você está por dentro de alguns dos pré-requisitos básicos para tornar o seu e-commerce mais confiável, não tem mais desculpas para ter um site cru e cheios de pop-ups indevidas que, com certeza, vão espantar os seus compradores da loja, principalmente os novatos.

Ah, e nós não esquecemos do 11º passo, mas esse você só fica sabendo quando vir tomar um café com a GTC. 😉

Por: Redação - GTC
em 4 de junho de 2018

Vamos Conversar :-)

Posts Relacionados

E-commerce

Por: Redação - GTC
em 21 de junho de 2018

E-commerce:
como se antecipar a
futuros lançamentos

O primeiro semestre de 2017 teve crescimentos expressivos no
faturamento dos e-commerces brasileiros e a segunda
metade do ano não poderia ser diferente.

+
Cliente

Por: Redação - GTC
em 12 de junho de 2018

Good To Connect leva
mais um cliente
pra casa,
a Desinchá

 .

+
Inovação

Por: Redação - GTC
em 22 de fevereiro de 2018

Machine Learning
e Deep Learning:
vale a pena investir?

A cada nova descoberta, a inteligência artificial vem transformando os modelos de negócios de empresas de variados segmentos. Com a implementação de IA que permitem que máquinas tomem decisões, as marcas estão começando a coletar e analisar terrenos nunca antes explorados. 

+
Parceiro Google